Logo
Logo Logo Logo
Palavra do Presidente



Querer, saber, fazer

Não é segredo que o mercado tem se apresentado extremamente desafiador nos últimos semestres. Além das desconfianças na arena política, que ressurgem a cada nova menção a integrantes do governo nas investigações derivadas da Lava Jato, temos assistido à lentidão da retomada econômica, lentidão essa que parece não fazer caso dos bons indicadores que já surgem no horizonte.

A inflação vem caindo, assim como a taxa básica de juros; a disposição do governo em fazer as reformas necessárias trouxe o risco-país para o menor patamar desde 2015; o real vem se apreciando perante o dólar, que desde o início do ano permanece abaixo de R$ 3,20. Nada disso, porém, surte o efeito desejado, que é o crescimento da atividade, da produção, do investimento e do consumo. O Brasil ainda se encontra em compasso de espera, e a palavra de ordem é cautela.

O setor produtivo já está escaldado por solavancos econômicos anteriores e certamente prefere aguardar antes de tomar qualquer decisão. Já o consumidor está pouco à vontade para retomar o padrão de vida de antes da crise. Ele não se sente seguro e prefere poupar a consumir, restringindo-se ao básico e indispensável, já que a maioria dos analistas avalia que o desemprego, já alto, pode aumentar ainda mais antes de recuar, já no segundo semestre de 2017 ou início de 2018.

Como empresários, queremos que o país dê certo, que o emprego cresça e as empresas prosperem, proporcionando o justo retorno aos seus investidores. Assim, o atual cenário nos impõe duas tarefas urgentes: colaborar com o que estiver ao nosso alcance para impulsionar a atividade econômica o quanto antes e aperfeiçoar nossos conhecimentos para lidar de maneira eficaz com a retração persistente do mercado, pelo bem de nosso setor e de nossas empresas.

O vigor econômico sempre deriva da confiança de quem investe, produz e emprega; e a confiança, por sua vez, floresce em meio a um ambiente regulatório e concorrencial sadio. A ABAD, por meio de suas assessorias política e jurídica, continua a trabalhar junto ao Congresso nacional e ao Poder Executivo em temas próprios, específicos, e também em temas comuns às demais entidades que compõem a União Nacional das Entidades do Comércio e Serviços – UNECS.

Acreditamos que a presença institucional e política consistente da ABAD é indispensável para garantir as condições legais e normativas para um crescimento sustentado da economia e do setor.

O conhecimento, por sua vez, tem sido um tema de enorme relevância dentro da entidade, e estamos trabalhando por ele em várias frentes. Estamos empenhados em estreitar nossa aproximação com a indústria fornecedora para aprofundarmos o entendimento sobre o mercado, em um processo de ajuda mútua que visa trazer ganhos para toda a cadeia de distribuição.

Além disso, neste ano, reformulamos e aperfeiçoamos o questionário do Ranking ABAD/Nielsen, visando melhorar ainda mais a qualidade dos dados colhidos. Estamos também debatendo mudanças e melhorias na pesquisa mensal do Banco de Dados FIA/USP, para que seja uma ferramenta cada vez mais útil para os gestores do setor. Estamos, também, investindo tempo e recursos no aprimoramento dos programas de capacitação da ABAD, com inovações que traremos a público oportunamente.

Todo esse empenho reflete a nossa convicção de que querer, saber e fazer são três verbos indispensáveis à superação e ao sucesso, e que por isso são a base das nossas ações.

Emerson Luiz Destro
Presidente da ABAD