Recessão econômica acabou, mas melhora pode ser cíclica, dizem economistas

Os economistas Eduardo Giannetti da Fonseca e Luiz Rabi, da Serasa Experian e líder da área de indicadores de mercado, foram os palestrantes do painel “Política, Economia & Investimentos”, da 38ª Convenção Anual do Canal Indireto realizada na quarta-feira (25), no Bourbon Convention Resort Atibaia.

Para ambos, o Brasil finalmente conseguiu sair da pior recessão da sua história. “Quem sobreviveu a tudo isso está de parabéns, porque muita gente ficou no caminho. A recuperação está menor do que prevíamos, já que a projeção inicial era crescimento de 3%, agora é em torno de 2,5%”, comentou Gianetti.

Gianetti disse ainda que “a inflação em queda restituiu o poder aquisitivo da população de baixa renda, que é a mais prejudicada quando a economia não vai bem. Nós estamos com as contas externas equilibradas e não dependemos de dinheiro externo para financiar nossos gastos. Estamos tranquilos e em processo de recuperação.”

Apesar disso, Gianetti afirmou que estamos vivendo uma recuperação cíclica e não de crescimento sustentável, por isso ainda temos de nos preocupar.  “É preciso tornar este crescimento permanente.”

De acordo com Rabi, a eleição presidencial deste ano será determinante para este processo. “Se o novo presidente tiver um perfil mais reformista e brigar para a aprovação das reformas tributária e previdenciária, que afetam diretamente a economia, o crescimento sustentável será possível. Sem elas, o país vai reviver o período do governo Dilma, que não investiu em grandes ajustes fiscais e gerou a estagnação da economia”, frisou Rabi, que acrescentou: “Se não saírem as reformas, o mercado vai dar uma resposta que certamente não será favorável para o cenário econômico.”

Ao finalizar o painel, o vice-presidente da Abad e diretor da Fasouto Distribuidora concordou com Gianetti e convocou a plateia para fazer a sua parte nessa mudança. “Precisamos assumir o protagonismo do Brasil. A Lava-Jato iniciou o trabalho, mas cabe a nós darmos continuidade a esse processo.”

 

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.