Logo
Logo Logo Logo

Noticías

Varejo cai forte em março, mas sobe no 1º tri

As vendas do varejo restrito tiveram em março a segunda queda seguida e o pior resultado para o mês desde 2003, mas isso não impediu que o saldo do comércio no primeiro trimestre tenha sido positivo. Assim, a perspectiva de recuperação da atividade econômica nos três primeiros meses deste ano se mantém, embora as revisões metodológicas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) ainda estejam deixando analistas confusos sobre a realidade dos dados da atividade.

A Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) de março, divulgada ontem pelo instituto, mostrou queda de 1,9% do varejo restrito na comparação com fevereiro, na série com ajuste sazonal. São excluídos dessa conta veículos e motos, partes e peças e materiais de construção. No entanto, a alta de janeiro, que sofreu revisão, de 5,5% para 6%, sustentou um crescimento de 3,3% no primeiro trimestre em relação ao último trimestre do ano passado, apesar da queda de fevereiro também ter sido revisada para pior, de ­0,2% para ­1,6%.

Analistas, no entanto, dizem que o resultado deste primeiro trimestre precisa ser visto com cuidado. No mês passado, o IBGE promoveu mudanças na metodologia de cálculo da PMC, que deixaram os dados demasiadamente voláteis e difíceis de serem estimados, segundo economistas do setor privado.

Para se ter uma ideia, após as revisões janeiro saiu de um resultado negativo de 0,7% para se tornar o melhor mês da série, enquanto março é o segundo pior resultado do histórico da PMC, iniciada em 2001. "Vai levar algum tempo até os modelos conseguirem se ajustar. A série nova é relativamente curta", diz Thais Zara, economista-­chefe da Rosenberg Associados.

Com as mudanças, ficou mais difícil projetar a taxa, o que já podia ser observado pela dispersão das projeções para a sondagem de ontem, que iam de contração de 3,1% até crescimento de 0,4%. A estimativa média das 22 instituições financeiras e consultorias ouvidas pelo Valor Data era de recuo de 0,7% do varejo na passagem de fevereiro para março.

Fonte: Valor Online