ABAD: Setor cresceu 0,8% e faturou R$ 261,8 bi em 2018

Coletiva para divulgação dos dados contou com presença de Nielsen, FIA e GfK

 

A ABAD realizou na manhã desta segunda-feira (22) coletiva de imprensa para divulgação dos resultados do Ranking ABAD/Nielsen 2019 – ano base 2018, o mais importante e abrangente estudo do setor atacadista e distribuidor. 

O estudo anual, que chega à sua 25ª edição, mostra que o setor faturou R$ 261,8 bilhões em 2018, a preço de varejo, movimentando 53,6% do mercado mercearil brasileiro, que no ano passado atingiu R$ 488,7 bilhões. A participação de mercado manteve-se estável em relação ao Ranking anterior e permanece superior a 50% pelo 15º ano consecutivo.

As 666 empresas que neste ano responderam ao questionário do Ranking somam um faturamento de 88 bilhões de reais (110 bilhões a preço de varejo), compondo uma amostra que equivale a 42% do faturamento do setor. Essas empresas forneceram as informações que ajudaram a traçar o perfil do atacado distribuidor brasileiro em aspectos como gestão, intenção de investimentos e expectativas para 2019.

CRESCIMENTO – O crescimento do setor, em faturamento, foi de 0,8% nominal e relação a 2017. Já o dado deflacionado, isto é, considerando a inflação oficial de 2018 (IPCA de 3,75%), mostra uma retração de -2,95%.

Para Emerson Destro, presidente da ABAD, depois de duas quedas consecutivas do PIB, em 2015 e 2016, os resultados modestos de 2017 e 2018 têm o aspecto positivo de mostrar que a economia parou de andar para trás e começa a reagir, ainda que timidamente. “Se o governo conseguir dar andamento às medidas mais urgentes para o país, como a nova previdência e a reforma tributária, certamente a resposta dos investidores e setores produtivos não tardará. Nesse caso, com o retorno dos investimentos e aumento da renda, será possível pensar em um crescimento para o setor de até 2% no ano, alinhado com o crescimento do PIB”, avalia.

O professor Nelson Barrizzelli, coordenador de projetos da FIA – Fundação Instituto de Administração e responsável pelas análises do Ranking ABAD/Nielsen, credita esse resultado a fatores que influenciaram todo o desempenho da economia em 2018, como a greve dos caminhoneiros, no primeiro semestre, e a turbulência política trazida pelas eleições de outubro.

Daniel Asp Souza, da Nielsen, fez uma apresentação sobre o cenário de consumo no país e a evolução dos vários canais de compras, destacando que o consumidor continua cauteloso e cada vez mais se utiliza de múltiplos canais de compras, buscando preço, praticidade e comodidade.

Já Marco Aurélio Lima, diretor da GfK Brasil, mostrou dados de pesquisa realizada junto ao varejo de vizinhança que apresenta expectativas bem positivas de crescimento para 2019. Segundo a pesquisa “Mercado de vizinhança”, no primeiro trimestre, 71% dos varejistas avaliam que este ano será “melhor” ou “muito melhor” do que 2018, projetando, além da retomada de crescimento, a abertura de até 15 mil novos empregos.

A pesquisa indicou também que o mercado de vizinhança tem nos distribuidores e atacadistas seus maiores parceiros para se abastecer em um país com dimensões continentais como o Brasil. Além disso, formam a maior frente de concorrência para hiper e supermercados nas regiões em que atuam.

PREMIAÇÃO – Na noite de quarta-feira, 24, como parte das atividades da 39ª Convenção Anual do Canal Indireto – ABAD 2019 ATIBAIA, será entregue a premiação “Maiores Atacadistas Distribuidores por Estado”, com base na pesquisa do Ranking.

Notícias Relacionadas
1 comentário
  1. Marcelo Danil Diz

    A convenção da ABAD se consolida como a mais representativa do setor ao indicar a todos os integrantes da cadeia de abastecimento os caminhos a seguir para a evolução dos negócios e o sucesso. Parabéns por mais esse ano e já esperamos o próximo, quando a entidade alcançará a marca das 40 convenções!

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.