INSTITUTO ABAD

Atuação Social e Ambiental

O Instituto ABAD (IABAD) foi criado em 2006 com o objetivo de ser o braço social do segmento atacadista e distribuidor. Seu papel é articular e mobilizar indústrias, organizações não governamentais e governamentais com atuação nacional, regional ou local nas áreas social e ambiental, com o objetivo de identificar sinergias e estabelecer parcerias.

Em 2010, o IABAD recebeu a qualificação de OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público), o que possibilita aos investidores e doadores deduzirem como despesa o valor investido ou doado até o limite de 2% do lucro operacional.

Cartilha OSCIP: clique aqui

 

Conheça as áreas de atuação do Instituto ABAD:

A Lei 12.305/10 instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e determinou medidas destinadas a reduzir o impacto ambiental do consumo de produtos industrializados e de suas embalagens.

A PNRS define a responsabilidade compartilhada de todos os geradores de resíduos, institui a logística reversa e prevê a realização de Acordos Setoriais.

O Acordo Setorial para Logística Reversa de Embalagens Pós-Consumo foi assinado em novembro de 2015 pelo Ministério do Meio Ambiente e 22 entidades setoriais, entre elas a ABAD.

A Coalizão Empresarial, com 22 associações nacionais, é a união de esforços de diversas Entidades e Empresas para implementação da Logística Reversa de resíduos de embalagens não perigosas.

CLIQUE AQUI para acessar o Termo de Adesão e formalizar a opção de aceitar ou não os termos e condições resultados do Acordo Setorial e aqui para sanar todas suas dúvidas sobre o PNRS.

SAIBA MAIS sobre a PNRS.

O Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos (PGRS) é um documento técnico que identifica a tipologia e a quantidade de geração de cada tipo de resíduo e indica as formas ambientalmente corretas para o manejo, nas etapas de geração, acondicionamento, transporte, transbordo, tratamento, reciclagem, destinação e disposição final.

 

Quem precisa de PGRS?

A Lei determina que devem elaborar o PGRS:

• geradores de resíduos de serviços públicos de saneamento básico;

• geradores de resíduos industriais;

• geradores de resíduos de serviços de saúde;

• geradores de resíduos de mineração;

• estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços que gerem resíduos perigosos ou que sejam definidos como de

   responsabilidade privada por sua natureza, composição ou volume;

• empresas de construção civil;

• terminais ou outras instalações de serviços de transporte;

• atividades agrossilvopastoris conforme exigência do órgão ambiental ou de vigilância sanitária.

Conforme regulamentação específica, é definida a responsabilidade privada pelos resíduos ou conceituado como grandes geradores. Como exemplos, citam-se shoppings, supermercados, restaurantes e hotéis.

 

Quem exige o PGRS?

Em geral, o PGRS é exigido pelo órgão ambiental municipal, conforme a regulamentação específica de cada município a respeito da responsabilidade pelo manejo de resíduos sólidos. Nestes casos, o PGRS pode ser uma condição para emissão de alvarás das atividades.

Buscando atender as exigências da lei 12.305/10, o Instituto ABAD identificou empresas qualificadas para oferecer ao associado da ABAD o PGRS – Plano de Gerenciamento de Resíduos Sólidos.

Parceiros

Trial – Diagnóstico e Gestão de Resíduos

 

Ecounity – Plataformas eletrônicas para elaboração de PGRS

 

Para mais informações, contate Andreia Alves, pelo e-mail andreia.alves@abad.com.br ou pelo telefone (11) 3056-7500 – Ramal 2220

SAIBA MAIS sobre a PGRS.

O Projeto Futuro Consciente foi desenvolvido pelo Instituto ABAD e a Boomera para atender a lei 12.305/10 denominada como PNRS – Política Nacional de Resíduos Sólidos que prevê a  redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos através da educação ambiental e da instalação de PEVs – Pontos de Entrega Voluntária de Materiais Recicláveis no varejo e nos autosserviços.

Além disso, a parceria com as cooperativas contratadas como prestadoras de serviço de logística reversa ajuda a profissionalizar e aumentar a renda dos cooperados, com importante impacto social.

Para mais informações, contate Andreia Alves, pelo e-mail andreia.alves@abad.com.br ou pelo telefone (11) 3056-7500 – Ramal 2220

 

 

SAIBA MAIS sobre o Projeto Futuro Consciente.

Todos os dias, milhares de pessoas nas várias regiões do Brasil sofrem com a falta de alimentos.

Também todos os dias, toneladas de produtos em boas condições de consumo são descartadas por indústrias, armazéns, supermercados, atacadistas e outros, apenas porque estão fora dos padrões de comercialização.

Esse enorme desperdício, que gera para as empresas custos extras com manuseio e descarte, pode ser revertido em doações capazes de beneficiar pessoas de todas as idades que não têm acesso a alimentos de qualidade.

A alimentação é um direito essencial do cidadão, e a Campanha Permanente de Combate à Fome pode ajudar a população em situação de vulnerabilidade a ter uma vida mais saudável e digna.

A Campanha de Combate à Fome é realizada desde 2013 pelo Instituto ABAD em parceria com o Programa Mesa Brasil SESC. O objetivo é fazer a ponte entre quem pode doar (Setor Atacadista Distribuidor) e quem precisa receber, entregando alimentos que não tem mais valor comercial, mas ainda estão bons para consumo, a organizações sociais idôneas previamente cadastradas no programa.

 

 

ALIMENTOS ARRECADADOS DESDE O INÍCIO DA CAMPANHA:

11.887,30 Toneladas

Desde 2009 as Campanhas Social e de Natal têm como principal objetivo envolver, sensibilizar e mobilizar o setor Atacadista Distribuidor para desenvolver as ações de responsabilidade social corporativa, ampliando a articulação regional do Instituto ABAD. Para isso, conta com a participação das Representantes Estaduais do Instituto ABAD e o apoio efetivo das Filiadas ABAD.

Enquanto a Campanha Social, realizada no primeiro semestre, tem foco na arrecadação de alimentos, roupas e livros, a Campanha de Natal realizada no segundo semestre busca recolher brinquedos e roupas. Todas as doações são entregues a organizações sociais cadastradas que atendem crianças, adolescentes, jovens e idosos em todo o Brasil.

 

RESULTADOS 2006 A 2019

Alimentos – 1.220.714,06 t

Livros – 60.635 unidades

Brinquedos – 52.532 unidades

Dinheiro – R$ 2.461.037,53

Roupas – 233.249 peças

Variados (Produtos de limpeza, fraldas e etc) – 275.245 unidades

 

Para aderir a campanha e esclarecer quaisquer dúvidas, entre em contato com Andreia Alves pelo e-mail andreia.alves@abad.com.br ou pelo telefone (11) 3056.7500 – r. 2220

Desde 2008, a ABAD, por meio do Instituto ABAD, é signatária do Pacto Empresarial Contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras do Programa Na Mão Certa, desenvolvido pela Childhood Brasil.

A ABAD é consciente do seu papel social e de sua representatividade ao reunir as principais empresas atacadistas do país em torno dessa causa. Por isso, convidamos nossos associados a conhecer o Programa Na Mão Certa e também assinar o Pacto Empresarial Contra a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes nas Rodovias Brasileiras.

O Programa Na Mão Certa reúne empresas com o objetivo de promover uma ampla união de esforços para acabar com a exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias brasileiras.

A exploração sexual de crianças e adolescentes (ESCA) é uma das mais graves violações de direitos humanos. Essa violação de direitos interfere diretamente no desenvolvimento da sexualidade saudável e nas dimensões psicossociais da criança e do adolescente, causando danos muitas vezes irreversíveis.

Uma das principais causas atribuídas à exploração sexual no Brasil é a pobreza das famílias. Porém, outros fatores históricos, culturais, psicológicos, sociais e políticos também contribuem para este problema. Devido à sua complexidade, o fenômeno da exploração sexual não pode ser enfrentado isoladamente e/ou por apenas um setor da sociedade, mas pela mobilização, organização e parceria com empresas, governos e organizações da sociedade civil.

A partir da atuação das empresas, desenvolvendo as ações do Programa Na Mão Certa a grande meta é conquistar o caminhoneiro para atuar como agente de proteção de crianças e adolescentes nas estradas, reportando situações de risco ou evidencia de exploração sexual.