PIB do Brasil cresce 0,4% no 2º trimestre, diz IBGE

Consumo das famílias cresce 1,6% no período e contribui para recuperação da economia

O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresceu 0,4% no segundo trimestre deste ano, na comparação com os três primeiros meses de 2019, feitos os ajustes sazonais, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Em valor corrente, o PIB brasileiro somou R$ 1,780 trilhão no período.

Entre os componentes do PIB, o consumo das famílias cresceu 1,6% no segundo trimestre deste ano, na comparação ao mesmo período do ano passado. No primeiro trimestre, por essa base de comparação, esse componente da demanda havia crescido 1,3%. O consumo das famílias não apresenta queda desde o primeiro trimestre de 2017. “O consumo das famílias já teve um crescimento mais alto no passado, é verdade, mas ela tem crescimento de forma consecutiva e vem sustentando os resultados, contribuindo muito para a recuperação da economia”, disse Claudia Dionisio, técnica do IBGE.

INDÚSTRIA – A indústria avançou 0,7% no segundo trimestre, na comparação com o trimestre imediatamente anterior, no melhor resultado desde a alta de 1,1% do quarto trimestre de 2017. Os dados constam das Contas Nacionais Trimestrais, divulgadas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) O principal destaque ficou por conta da indústria da construção, que subiu 1,9% na comparação com o trimestre imediatamente anterior, no melhor resultado desde o crescimento de 5,8% no primeiro trimestre de 2014. O resultado é o primeiro avanço após 20 trimestres em queda.

INCERTEZA – A incerteza em relação à economia brasileira registrou em agosto o maior avanço em quatro meses, segundo a Fundação Getulio Vargas (FGV), com a piora no cenário internacional elevando a cautela em relação a economias emergentes, como o Brasil. O Indicador de Incerteza da Economia brasileira (IIE-Br) subiu 5,8 pontos entre julho e agosto, para 114,2 pontos, o maior aumento desde abril deste ano (8,1 pontos). Em médias móveis quadrimestrais, o indicador recuou 0,8 ponto. Não está claro, porém, se a piora do indicador vai continuar nos próximos meses, segundo Aloisio Campelo Jr., superintendente de estatísticas públicas da FGV.

CONFIANÇA – O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas avançou 0,8 ponto em agosto de 2019, para 95,6 pontos. Em médias móveis trimestrais, o índice recuou pelo quinto mês consecutivo, dessa vez em 0,5 ponto. A confiança melhorou em 12 dos 19 segmentos industriais pesquisados em agosto. O Índice de Situação Atual (ISA) avançou 1,2 ponto, para 95,6. O Índice de Expectativas (IE) subiu 0,4 ponto, para 95,7. Apesar da melhora, ambos se mantêm abaixo do nível neutro de 100 pontos.

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.