Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Conheça os termos do Acordo Setorial para Logística Reversa de Embalagens

Cumprimento da legislação ambiental pelas empresas do setor evita sanções e multas

Nas edições anteriores do ABADNEWS já dissemos que a Lei 12.305/10, que instituiu a Política Nacional de Resíduos Sólidos, determinou medidas destinadas a reduzir o impacto ambiental do consumo de produtos industrializados e de suas embalagens. Foi mencionado também que a PNRS definiu a responsabilidade compartilhada de todos os geradores de resíduos, envolvendo toda a cadeia de consumo: fabricantes, importadores, distribuidores, comerciantes, catadores de materiais recicláveis e consumidor, além de titulares de serviços de manejo dos resíduos sólidos urbanos, nas três esferas públicas de poder (federal, estadual e municipal).

A lei ainda instituiu a logística reversa e previu a realização de acordos setoriais, como o que foi assinado em novembro de 2015 pelo Ministério do Meio Ambiente e 26 entidades setoriais, entre elas a ABAD.

Esse acordo setorial exprime o consenso sobre as atribuições reconhecidas por cada uma das partes envolvidas, incluindo a definição do sistema de logística reversa de resíduos de embalagens não perigosas.

Desde o início das discussões, a ABAD empenhou-se para garantir as melhores condições para atacadistas e distribuidores, estabelecendo deveres e metas econômica e logisticamente adequadas à realidade do setor.

Principais responsabilidades dos atacadistas e distribuidores:

  • Ceder espaço para a implantação de Pontos de Entrega Voluntária de material reciclável (PEVs), cuja implantação e manutenção será feita pela indústria, em parceria com associações de catadores, prestadores de serviços e/ou poder público municipal.
  • No caso de atacadistas e distribuidores que não possuem estabelecimentos abertos ao público, articular a instalação de PEVs em estabelecimentos varejistas parceiros, com investimento da Indústria;
  • Contribuir para a educação ambiental, disponibilizando instruções para que os consumidores realizem de forma adequada a devolução das embalagens pós-consumo.

Vale destacar que aderir ao Acordo Setorial para a Logística Reversa de Embalagens Pós-consumo e cumprir as obrigações nele inseridas significa evitar autuações e sanções administrativas no âmbito da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida das embalagens. As multas pelo não cumprimento da legislação podem resultar em multas que superam os R$ 50 milhões

Por isso, a ABAD elaborou e disponibiliza em seu site o Termo de Adesão ao Acordo Setorial para as empresas associadas à entidade e/ou suas Filiadas Estaduais. Essa adesão não é obrigatória, mas as empresas de todos os setores envolvidos no ciclo de vida dos produtos estão obrigadas ao cumprimento da lei, e o Acordo Setorial é um facilitador desse processo.

Na próxima semana, vamos falar do Projeto Futuro Consciente, elaborado pelo Instituto ABAD, em parceria com a empresa Boomera, que é mais um facilitador para auxiliar as empresas do setor no cumprimento da PNRS.

Saiba mais sobre o Instituto ABAD, acessando o SITE.

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

Seu endereço de email não será publicado.